segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Eu apoio a Reforma da Previdência

Sejamos claros: existe um rombo bilionário nas contas públicas brasileira. Parte expressiva desse déficit advém diretamente do rombo previdenciário. Já fiz vídeos explicando a situação da previdência no Brasil, você pode assisti-los aqui e aqui.

A situação previdenciária brasileira é extremamente grave: ou reformamos a previdência ou o Brasil quebra. O que significa quebrar? Significa que o governo será incapaz de pagar suas contas. Se não reformarmos a previdência o governo brasileira será incapaz de pagar o salário de seus funcionários, será incapaz de pagar o salário dos aposentados, será incapaz de pagar os fornecedores. Será uma situação muito similar a que já ocorre com o estado do Rio de Janeiro.

Se a reforma da previdência não for aprovada teremos um grave problema fiscal que colocará em risco toda estabilidade de nossa sociedade, incluindo a volta da inflação e o atraso (ou calote) nos pagamentos do governo.

Não é o momento de olharmos cargos, não é o momento de política partidária. Deixemos o quanto pior melhor para o PT, partido que sempre votou contra o Brasil. O PT votará e fará campanha contra a reforma da previdência, está na essência do PT colocar os interesses partidários acima dos interesses da nação. Não sejamos igual ao PT.

Eu defendo a reforma da previdência. Convido a todos a postarem a seguinte mensagem em suas redes sociais:

"Creio que é chegado o momento da responsabilidade e da transparência. O déficit previdenciário atinge valores que colocam em risco a estabilidade de nosso país. Eu apoio a reforma da previdência. Previdência: ou reforma ou quebra!"

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Aula 15: Curva de Laffer e a Economia pelo Lado da Oferta

Neste vídeo explico a curva de Laffer e a economia pelo lado da oferta, os impactos da tributação sobre o crescimento econômico, e a importância de se reduzir a complexidade tributária brasileira. Para assistir clique aqui.

sábado, 2 de dezembro de 2017

Um pedido honesto de tolerância, respeito e união

Em 2007 começava esse blog num esforço de divulgar ideias liberais e conservadoras. Foi duro, naquela época haviam poucos nessa trincheira, e os que pensavam diferente eram muitos e poderosos. Nessa trincheira lembro de alguns que já não estão mais entre nós como o Blog do Coronel (descanse em paz guerreiro), mas vários outros ainda continuam na batalha de divulgação de ideias. Muito me entristece quando recém-chegados ofendem líderes que foram provados a ferro e fogo (inclusive com perdas de emprego, de oportunidades profissionais, fim de relacionamentos, e até processos judiciais).

Quero deixar muito clara a admiração que tenho por pessoas como Olavo de Carvalho, Reinaldo Azevedo, Rodrigo Constantino, Flavio Morgenstern, Alexandre Borges, Paulo Roberto Almeida, Paulo Briget, Orlando Tambosi, Roberto Ellery, Bernardo Santoro, Paulo Eduardo Martins, Paulo Kogos, Nariz Gelado, Felipe Moura Brasil, Hélio Beltrão, Mises Brasil, Selva Brasilis, Alexandre Schwartzman, Percival Puggina, Claudio Shikida (De Gustibus), e várias outras lideranças antigas. O tempo passou, e novas lideranças surgiram: O Antagonista, o Movimento Brasil Livre, o Vem Pra Rua, o Movimento Brasil, o Avança Brasil, Bene Barbosa, o Mamãe Falei, o Rafael Lima (Ideias Radicais), o Eder Borges, o Filipe Martins, a Bruna Luiza, a Thais Godoy Azevedo, a Ana Paula (do vôlei), o Nando Moura, o Paulo Enéas, o Rodrigo Saraiva Marinho, o Fabio Osterman, Carlos Andreazza, a Joice Hasselmann, o Matheus Faria, a Rachel Sheherazade, o LIVRES, o NOVO, o canal Terça Livre, o Foro de Brasília, a Bia Kicis, o Felippe Hermes (Spotniks), o movimento Escola sem Partido (sob a brilhante liderança de Miguel Nagib), a Ana Caroline Campagnolo, o Instituto Mercado Popular, os Institutos Liberais (IL, ILIN, ILISP, e todos os demais) e vários outros. Desnecessário dizer que nesse grupo se destacam os Deputados Jair Bolsonaro e Eduardo Bolsonaro, bem como todos os movimentos liberais (Rede Libertária), conservadores, e de direita (Direita Ceará, Direita São Paulo, Direita Amazonas, Direita Minas Gerais, etc.) espalhados pelo país. São vários outros grupos que faço questão de deixar aqui registrado meu agradecimento e admiração a todos.

Sim, nem todos que citei apoiam o Deputado Jair Bolsonaro. Pelo contrário, muitos são ferrenhos críticos de Bolsonaro. Mas aqui convido a todos para uma reflexão honesta: será que os críticos de Bolsonaro tem razão em suas dúvidas? Minha resposta: SIM, muitas críticas são realmente providas de razão. Verdade que outras são pura maldade e mentiras, mas existem sim críticas e receios honestos. E aqui faço um convite a TODOS os apoiadores de Bolsonaro, vamos responder com argumentos, respeito, e tolerância aos que pensam diferentes de nós.

Por exemplo, Reinaldo Azevedo é uma liderança importante, e o mesmo vale para o MBL, o ILISP, e vários outros movimentos que criticam a postura de Bolsonaro. A maneira de lidarmos com a crítica é reconhecermos que sim, nós temos que melhorar. Muitas das críticas que Bolsonaro sofre são sim fundadas em bons argumentos. A melhor maneira de lidar com isso é reconhecermos eventuais erros e trabalharmos duro para corrigir isso. Não se convence pessoas ofendendo-as, o processo de convencimento começa por uma autocrítica honesta, e por argumentos sensatos, mantendo sempre o diálogo e o respeito com quem pensa diferente.

Eu apoio o Deputado Jair Bolsonaro para presidente do Brasil. Eu quero vencer as eleições presidenciais de 2018, mas não quero isso a qualquer custo. Existe um limite além do qual um homem civilizado não deve ir, não se cria um monstro acreditando que será possível controlá-lo depois. Um presidente terá que governar para todo Brasil, para isso tolerância, respeito, e união se fazem necessários. Tenho vários amigos de esquerda, são várias pessoas queridas que irão votar em Lula, Marina, Ciro e até mesmo em Manuela D'Ávila. Pensar diferente não é crime, tenhamos por nossos adversários o respeito que se faz necessário.


quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Aprenda Economia com o Sachsida: 14 aulas gratuitas

Aprenda Economia com o Sachsida! São 14 aulas gratuitas direto da minha playlist do youtube

Aula 01: Os três pilares básicos de qualquer análise econômica: a) incentivos; b) curvas de oferta e demanda; e c) restrições.

Aula 02: Curva de Demanda; Curva de Oferta; e Equilíbrio de Mercado

Aula 03Nessa aula aprenderemos várias aplicações práticas sobre os deslocamentos das curvas de oferta e de demanda. Aprenderemos também sobre elasticidade das curvas.

Aula 04Nessa aula aprenderemos mais sobre elasticidades. Além disso, exemplos práticos sobre tributação e sobre o ônus tributário são utilizados. Por fim, explica-se o excedente do consumidor, o excedente do produtor, e a perda de peso morto dos impostos.

Aula 05Nessa aula aprendemos sobre os efeitos da intervenção do governo na economia. Especificamente são estudadas questões referentes a políticas públicas de preços mínimo e máximo. Adicionalmente, comenta-se sobre a questão das externalidades.

Aula 06Nesta aula aprenderemos um pouco sobre a história da moeda. Depois discutiremos sobre a origem da inflação, e política monetária.

Aula 07: Nessa aula estudaremos sobre discriminação e sobre políticas de ação afirmativa, tais como as quotas para mulheres e negros.

Aula 08Nessa aula discutiremos sobre as falhas de governo e sobre a origem dos monopólios.

Aula 09Nessa aula aprenderemos sobre bens privados, bens públicos, recursos comuns, e monopólios naturais. Adicionalmente, falaremos sobre o Teorema de Coase e sobre a Tragédia dos Comuns.

Aula 10Nessa aula falaremos sobre o desemprego e sobre a inflação.

Aula 11Nessa aula respondo as perguntas que recebi nos comentários das aulas anteriores, e faço menções a alguns temas que não abordei diretamente no curso. Desindustrialização, globalização, dívida pública, e cidades privadas são alguns dos vários temas tratados nessa aula. 

Aula 12Nesta aula, a MAIS IMPORTANTE AULA DO CURSO, explico sobre o mecanismo de preços. Explico a importância dos preços serem livres, e os erros inerentes a qualquer política econômica que tente controlar preços.

Aula 13Nessa aula explico como funciona o sistema de previdência no Brasil, e dou detalhes sobre a necessidade de reformas. Um detalhe, no vídeo cometi uma gafe. Na realidade a Seguridade Social = saúde + previdência + assistência social (e não educação como digo no vídeo). A rigor isso não muda a análise, quanto mais o governo gastar com a previdência menos sobrará para gastar em outras atividades.

Aula 14Neste vídeo explico a necessidade de modernizar nossa legislação trabalhista.


Obrigado, foi uma honra enorme ter participado desse desafio com vocês. Espero que tenham gostado!

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Pode não ser o que parece: O que traz felicidade, com quem se casar, quais amigos ter ou como a ciência ajuda você a tomar as melhores decisões.

O que traz felicidade, com quem se casar, quais amigos ter ou como a ciência ajuda você a tomar as melhores decisões.

Escrito porSamy Dana (FGV/Globo News) e Sérgio Almeida(USP)

Quem tem mais dinheiro é mais feliz? O amor tem um preço? Por que nos importamos com a opinião dos outros? Como as emoções afetam nossas decisões? Talvez essas não pareçam perguntas que interessem a um economista, mas Samy Dana e Sergio Almeida vão muito além do cálculo de juros, inflação e crescimento do PIB. A economia também é a ciência que estuda como os seres humanos tomam decisões — em muitas das escolhas que fazemos, há um lado oculto que tem muito a ver com economia. Usando como base dezenas de estudos e artigos científicos, Pode não ser o que parece foge do senso comum e responde às dúvidas que afligem a todos. Um livro que mudará sua maneira de enxergar o mundo.

Nos capítulos deste livro trataremos de vários temas do cotidiano, sem a pretensão, obviamente, de esgotá-los. Falaremos sobre felicidade, casamento, dinheiro, sexo, emoções, além de temas mais específicos, como criação dos filhos, desempenho escolar, combate às drogas, o impacto das amizades em nossas vidas, políticas de segurança e como encontrar o par ideal. É difícil imaginar — não importa sua idade ou formação profissional — que não haja aqui algum assunto que já não tenha merecido sua atenção, que não tenha sido um problema de decisão.

Pode não ser o que parece é um livro que funciona, portanto, como uma ponte entre, de um lado, as pessoas produzindo conhecimento sobre esses assuntos de uma forma mais metódica e baseada em cuidadosa análise dos dados e, de outro lado, todos nós que nos deparamos com as dificuldades de entender eventos cruciais da nossa vida. O livro é também, ainda que como produto indireto, uma tentativa de mostrar como o olhar dos economistas pode ser útil também para entender temas comportamentais comuns às nossas vidas, e não apenas para falar de juros, inflação e finanças. Fugimos do senso comum e respondemos com números, dados e pesquisas a questões que afligem a todos.

VENDAS



Livraria Cultura: http://bit.ly/2wCMQSA

Livraria da Folha: http://bit.ly/2xyya6j

Martins Fontes: http://bit.ly/2hlMjdn

Livraria da Travessa: http://bit.ly/2wCKOSz


domingo, 15 de outubro de 2017

Dona Rute e Dona Odete, minhas professoras inesquecíveis! Feliz dia do Professor

Dona Odete me ensinou a ler e escrever, e fazer as primeiras contas. Foi minha professora do primeiro ano no Colégio Universitário em Londrina. No segundo ano, continuei aprendendo com a Dona Rute. Ambas mulheres incríveis e professoras magníficas. Dona Odete na sua juventude pegava a charrete para ir ensinar aos índios. Quando me deu aula já tinha mais idade, guardo-a no  coração. Dona Rute era dona de uma paciência incrível, e uma didática maravilhosa, certa vez pediu para que chegasse mais cedo para me ensinar matemática, na época não conseguia fazer contas de subtração. Também me lembro da Dona Suely, professora do Pré II, mas sem tanto carinho pois ela me puxou a orelha chamando-me de burro (Rsssss puxar a orelha vá lá, mas não precisava dizer que era por burrice). Guardo-a com o respeito de quem dedicou sua vida a educar.

Também me lembro de meu professor de história, Geraldo, que dava aulas inspiradoras. Do Gilleno de matemática, e do Vivaldo (também de matemática), do SS (física), da Graça (gramática) e Denise (literatura), Deus como sofri para aprender português!!! Duas mulheres importantes e super competentes me ensinaram com paciência. Da Leo de inglês (outra matéria que sofri horrores para aprender). Rssss lembro que quando me formei no inglês uma professora virou pra mim e disse: "Nunca imaginei que você conseguiria" Rsssss eu consegui! E foi graças a professoras maravilhosas que me ajudaram muito no caminho!

Lembro do Hugo Yabe e do professor Piraju nas aulas de natação. Hugo foi um dos professores mais brilhantes que tive na vida, suas lições sobre a vida me marcam até hoje.

Na universidade lembro do professor Rogério, do professor Miguel e nossas discussões. Do professor João Faria (Jocka) que mudou minha carreira para sempre e que foi fundamental para meu crescimento profissional, sem sombra de dúvidas o professor mais importante dessa fase de minha vida. Lembro até hoje das aulas do Hermes e tantas outras histórias.

No mestrado/doutorado posso citar o professor Joaquim Andrade (meu orientador no mestrado), e o professor Joanílio Teixeira (orientador no doutorado), e claro o professor Francisco Carneiro que me ensinou a importância da publicação acadêmica e que me deu uma importante oportunidade profissional ao me contratar como professor da Universidade Católica de Brasília. Destaco ainda o professor Geraldo da estatística com quem aprendi muito.

E assim se passaram 45 anos, minha vida retratada por alguns de meus professores. Obrigado por tudo, obrigado por todo carinho, paciência, amor, dedicação, e vontade de superação. E Dona Suely, obrigado pelo  puxão de orelha, não me fez mal e hoje é uma lembrança querida.

Obrigado a todos os meus professores, obrigado a todos os professores, obrigado por tudo. Professor é para a vida toda!


domingo, 8 de outubro de 2017

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email