segunda-feira, 21 de maio de 2018

A FRAUDE nas eleiçoes na Venezuela, FORA Maduro, Fora Ditadura!

O ditador da Venezuela, Nicolas Maduro, aplicou mais um golpe eleitoral na Venezuela. As eleições venezuelanas foram uma FRAUDE!

O PT e o PSOL apoiam a ditadura na Venezuela! Vergonha! Vários brasileiros andaram apoiando a ditadura de Hugo Chavez e Nicolas Maduro, já se desculparam??? Cobre deles!!!

Não existem meias palavras aqui!!! O que existe na Venezuela é uma ditadura que frauda eleições para tentar se legitimar. O Brasil precisa denunciar MAIS ESSA fraude eleitoral.

Digo mais: está na hora de começarmos a pensar seriamente em maneiras de ajudar a libertar o povo venezuelano desse tirano.

sábado, 19 de maio de 2018

O que aconteceu com a taxa de câmbio?

Nos últimos trinta dias a taxa de câmbio saltou de R$ 3,41 (em 20/04/2018) para R$ 3,75 (em 18/05/2018), uma valorização de 9,1% em apenas um mês. Qual a origem dessa valorização?

Responder questões referentes a variações cambiais de curto prazo nunca é tarefa fácil, e é bom o leitor saber que existe uma boa chance de eu estar errado nessa análise.

Li alguns colegas, muito bem qualificados, atribuindo a variação cambial a um erro de comunicação do Banco Central. Segundo eles, a última ata do COPOM não estava tão clara quanto outras, e atribuíam certa dose de culpa a uma entrevista recente do presidente do BACEN (onde ele teria sido infeliz em alguns comentários).

Com o devido respeito discordo de meus colegas, acho que a recente valorização do dólar tem pouco a ver com erros de comunicação, e mais a ver com um pequeno deslize no gerenciamento da política monetária. Tal como afirmei em 09 de fevereiro em minha página do facebook:

"Apenas para registro: a equipe do Banco Central está fazendo um trabalho excelente. Dito isso, confesso que achei equivocada a decisão de reduzir a taxa de juros para 6,75%. O ambiente fiscal interno está péssimo, os riscos eleitorais são altos com candidatos à presidência e a governador prometendo aumentar os gastos públicos. Por fim, o risco externo de aumento da taxa de juros internacional é bem real".

Em outras palavras, me manifestava favorável a manutenção da taxa de juros em 7%. Diga-se de passagem, meu querido amigo Roberto Ellery fez alertas similares. Após esse episódio, em 21 de março, o BACEN reduziria novamente a taxa de juros para 6,5% ao ano. Novamente, em minha opinião, uma decisão equivocada.

Creio que foi essa redução equivocada nos juros a razão principal por trás da valorização cambial recente. Nossa economia está numa situação delicada, prudência é fundamental. Mas, ressalto uma vez mais, a equipe atual do Banco Central faz um belo trabalho e tem meu apoio. Além disso, lembro a todos que quem pode estar errado sou eu, prudência na análise aqui é fundamental.

Para finalizar, lembro uma vez mais que a taxa de câmbio é um preço. Logo, me parece equivocado tentar intervir em sua variação, creio que o mais acertado aqui é deixar o câmbio flutuar.






sexta-feira, 18 de maio de 2018

domingo, 13 de maio de 2018

Uma Simples Homenagem as Mães: "Não existe essa coisa de dinheiro público".

Fui pobre, e nessa época foi minha mãe quem cuidava da casa, de meu pai que tinha tido um derrame e de todos nós. Tal como minha mãe salvou minha família, várias outras mães pelo mundo fazem o mesmo diariamente. Cuidam da casa, cuidam da família, cuidam dos negócios, mantém nossa paz a custa de suas preocupações e sacrifícios.

Elas acordam antes de nós, e são as últimas a dormir. Sorriem para nos encorajar mesmo quando estão assustadas por dentro, nos dão força e coragem para seguir em frente. Mãe é a base de nossa sociedade, sem elas não existe o mundo tal qual o conhecemos.

Você mamãe que acordou hoje, saiba que nós devemos nossa vida a vocês. Triste que vários colégios tenham optado por parar de celebrar o dia das mães, vocês merecem todo nosso respeito e admiração.

Quando era pobre minha mãe acordava as 6:00 da manhã e só ia deitar depois das 23:00 horas, trabalho pesado para deixar a família a salvo. Rotina repetida diariamente por mães espalhadas por todo nosso planeta, mães que colocam os outras a sua frente: os filhos, o marido, o sobrinho, os amigos, tudo para nos ajudar e alegrar.

Numa época difícil minha mãe, tal como outras mães sabem, economizava o ano inteiro para termos dinheiro para pagar o IPTU e não perdermos nossa casa. Chegar ao final do ano com dinheiro suficiente para pagar o IPTU é uma das lembranças mais vivas que tenho desse período. Quantas mães não sofrem hoje com o mesmo problema? Quantas mães não vão dormir aflitas porque não há dinheiro para a comida ou para pagar pela moradia? Só elas sabem a tristeza e medo que carregam, mas carregam esse fardo com dignidade, e amor.

Faço questão de lembrar aqui a frase de uma grande mulher: "Não existe essa coisa de dinheiro público" (Margaret Thatcher). Thatcher sabia, como toda boa mãe sabe, que quem cuida melhor de seu próprio dinheiro é ela mesma. Cada centavo a mais na mão do Estado é um centavo a menos no bolso da mãe, centavos esses que as mães sabem quanta falta fazem na hora de ir a feira ou ao supermercado.

Meu muito obrigado a Dona Madalena, minha mãe. E um feliz dia das mães a todas as mães, obrigado por todo sacrifício que vocês fizeram para que nós pudéssemos aqui chegar.

sábado, 12 de maio de 2018

Considerações sobre o secreto documento da CIA sobre a ordem de matar da Ditadura Brasileira

Começo o texto com uma observação simples: toda ditadura é um regime de imposição, algumas mais outras menos. Por óbvio ditaduras não respeitam princípios básicos da liberdade individual.

Nessa semana ficamos chocados com a revelação de um relatório secreto da CIA. No relatório afirma-se que Geisel e Figueiredo, dois presidentes militares, estavam diretamente envolvidos em execuções sumárias e ilegais. Sobre o documento da CIA vale a pena a leitura do excelente texto de Reinaldo Azevedo.

Minhas considerações:

1) Não tenho dúvidas alguma de que o regime ditatorial no Brasil cometeu excessos e executou pessoas. Isso vale para a ditadura Vargas como vale para a ditadura militar. Afinal, essa é a essência básica de qualquer regime ditatorial: a imposição pela força ao arrepio da lei e do estado de direito.

2) Tenho dúvidas da autenticidade desse documento. Estou curioso para saber sobre suas fontes de informação: foram escutas clandestinas? Informantes que repassaram o teor de reuniões fechadas? Confesso que gostaria de saber como a CIA teve acesso a essas informações. Atenção: creio que a CIA tinha sim meios de obter informações secretas. Afinal, o livro 1964: O Elo Perdido, o Brasil nos Arquivos do Serviço Secreto Comunista deixa claro como o serviço de inteligência da pequena Tchecoslováquia era atuante no Brasil. Se um país pequeno conseguia isso tudo, para o lado dos países comunistas, me parece óbvio que a CIA também pudesse conseguir. Mesmo assim gostaria de ter mais detalhes sobre a elaboração desse relatório da CIA.

3) Especificamente sobre a ditadura Vargas: tenho pouco conhecimento, mas me parece ter sido um regime claro de tendências fascistas.

4) Sobre a ditadura militar: os militares brasileiros enfrentaram grupos terroristas que queriam impor ao Brasil uma ditadura comunista nos moldes cubano, soviético ou chinês. Por óbvio que não se enfrenta movimentos desse tipo sem uso da força bruta. Cabe ressaltar que alguns desses grupos terroristas já estavam em formação ANTES do golpe militar de 1964.

Vamos agora para considerações pessoais, e aqui deixo claro que talvez eu esteja errado.

5) O uso da força bruta contra grupos terroristas é mais do que justificado, e eu apoio o combate duro a tais grupos. Mas tal combate deve ser feito dentro dos limites legais. Executar uma pessoa presa sob custódia do Estado me parece inaceitável.

6) É fácil falar besteira enquanto tomo meu café na segurança de minha casa. Mas e se eu fosse Geisel? O que teria dito? Deus queira que nesse momento eu tivesse tomado a decisão correta. Mas e se Geisel tomou a decisão correta?

7) Sei que parece bobeira, mas quero compartilhar uma frase de Jack Bauer no seriado 24 horas. Havia uma bomba nuclear no centro de Los Angeles, até onde você iria para evitar que essa bomba explodisse? Jack Bauer tortura um terrorista para descobrir onde estava a bomba, e enquanto o tortura repete a frase: "Eu te odeio por me obrigar a fazer isso". Já imaginaram que coisa horrível? Ser obrigado a fazer coisas horrorosas, corromper sua alma, para conseguir salvar a vida de milhares de inocentes?  Sei que estou usando um exemplo ruim. Afinal, não existia tal risco no Brasil em 1974. Mas a simples existência de movimentos armados (que executavam pessoas ao arrepio da lei) mostra que algum risco havia. Será que tal risco justificava tais ações? Do conforto do meu sofá respondo: creio que não. Creio que o movimento terrorista armado, de guerrilha e revolucionário, não apresentava riscos suficientes que autorizassem tais medidas.

Essas são minhas divagações. A verdade é que existe uma grande área cinza em alguns momentos de nossa vida. Nesses momentos só nos resta orar, refletir muito, estudar muito, trabalhar muito, ser honesto, e pedir a Deus para tomarmos a decisão correta.




terça-feira, 8 de maio de 2018

Lançamento do Livro: Reforma Tributária IPEA e OAB/DF

Meus Caros,

O livro sobre reforma tributária que organizei em conjunto com o Dr. Erich Endrillo Santos Simas (Presidente da Comissão de Assuntos e Reforma Tributária da OAB/DF) já se encontra disponível para download. Você pode obter uma cópia do livro clicando aqui. Em breve anunciaremos os locais e datas do lançamento do livro. Creio que o mesmo é uma importante contribuição para o debate nacional.

O livro "Reforma Tributária IPEA e OAB/DF" é composto por 16 capítulos e uma apresentação feita pelo Professor Ernesto Lozardo (presidente do IPEA). Abaixo transcrevo a apresentação do livro:


REFORMA TRIBUTÁRIA OU MUDANÇAS MARGINAIS NO SISTEMA TRIBUTÁRIO? ESTUDOS, IDEIAS E PROPOSTAS

Texto do Professor Ernesto Lozardo, Presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada 

Reformar o sistema tributário pode ser uma cirurgia econômica invasiva e de elevado risco ao futuro da nação. Minimizar as incertezas depende, fundamentalmente, do realismo das medidas; do caráter corretivo das distorções produtivas e sociais; da promoção da prosperidade competitiva; e da integração econômica regional. Uma reforma tributária não deve se limitar ao aprimoramento da coleta de impostos, mas torná-la funcional, sistemática e simples. Precisa evitar estímulos ao capitalismo anão (sistema simples), mas incentivar o capitalismo competitivo global. Igualmente, patrocinar o desenvolvimento socioeconômico dos entes federados e equilibrar a capacidade arrecadatória de cada um por meio dos fundos de participação. 

Qualquer desvirtuamento desses objetivos na mudança do sistema tributário nacional será uma reforma de riscos irreparáveis para o progresso nacional. As políticas de estímulos, como as direcionadas às exportações, devem ter claro objetivo de reduzir nossas tarifas e torná-las compatíveis com as dos nossos concorrentes. Adiar a reforma tributária significa anular as possibilidades de transformar a nação em desenvolvida, socialmente próspera e economicamente competitiva. Afinal, desde a década de 1970, a economia brasileira deixou de crescer por conta da perda de produtividade dos fatores de produção. A reforma tributária em debate será um dos pilares para que o desenvolvimento possa crescer de forma sustentável e crível. 

O sistema tributário brasileiro está entre os mais complexos e ineficientes do mundo. Os dados referentes à quantidade de tempo necessária para o cálculo do imposto devido, os valores demandados em litígios tributários e a demora em seus respectivos julgamentos, a quantidade de novas normas editadas diariamente e a complicada questão federativa são alguns elementos que caracterizam nosso ordenamento tributário.

Mesmo com seu elevado grau de complexidade, o sistema tributário brasileiro possui defensores, os quais, em seu favor, utilizam um forte argumento: a assertiva de que no mundo tributário faz-se o possível, não o ideal. Os “gradualistas” afirmam corretamente que o Brasil tenta realizar, sem sucesso, uma ampla reforma tributária há pelo menos trinta anos. Para eles, a melhor estratégia para aprimorar o sistema tributário brasileiro é por meio de incrementos marginais na legislação. Passo a
passo, e seguindo um norte desejável, com o tempo, seria possível obter um sistema tributário mais justo e eficiente.

Existem também, por sua vez, os “reformistas”, aqueles que não acreditam na estratégia gradual e defendem que somente uma ampla reforma tributária poderia resolver o problema. Para estes, a estratégia gradualista apenas dá uma sobrevida a um sistema tributário moribundo. Nesse grupo estão os defensores de uma ampla reforma que mude tanto as bases tributárias como os tributos sobre elas incidentes. Argumentam, também corretamente, que um sistema tributário mais eficiente e justo seria um importante promotor do desenvolvimento econômico.

Este livro apresenta um vasto conjunto de estudos, ideias e propostas tanto dos “gradualistas”, que defendem mudanças marginais, como dos “reformistas”, que propõem um novo sistema tributário. Com esta publicação, temos o objetivo de trazer para dentro do Ipea essa importante discussão. Acreditamos que, por sermos um centro de excelência em pesquisa, e neutros do ponto de vista de interesses, somos o local ideal para a realização de tais debates.

Convém ressaltar, porém, que o Ipea não tem o compromisso de apoiar ou deixar de apoiar qualquer proposta específica; o nosso apoio é, unicamente, com o livre debate de ideias. De maneira alguma, o Ipea endossa qualquer proposta tributária apresentada neste livro. Propomo-nos apenas a dar vazão às diferentes ideias, propiciando aos defensores de cada uma delas o ambiente intelectual adequado para que divulguem e façam a defesa de suas propostas.

Dia 08/05 comemora-se o 73o anversário do Fim da Segunda Guerra Mundial. Muito obrigado a todos os homens livres que tombaram para que outros continuassem livres. Obrigado pracinhas da FEB!


Dia 08 de maio de 1945 terminou a segunda guerra mundial, conflito armado que mais matou e mais desgraça gerou na história da humanidade. Os números variam, mas não são poucos os especialistas que estimam um número acima de 50 milhões de mortos em decorrência da segunda guerra mundial. Uma catástrofe.

O Brasil tomou parte do conflito, lutamos ao lado da liberdade contra os regimes nazifascistas. Deixo aqui meu muito obrigado a todos os valentes soldados brasileiros que arriscaram suas vidas em defesa da liberdade. Obrigado e parabens a FEB!!! A coragem, a determinação e o sacrifício de nossos soldados foram testadas a ferro e fogo, e prevalecemos.

Deixo registrada aqui minha sincera homenagem a todos que lutaram contra as forças do mal, a todos que arriscaram suas vidas, suas carreiras, deixaram suas famílias, para que hoje pudéssemos crescer num mundo mais livre.

Quando visitava Nova York vi uma homenagem que calou fundo em minha alma, um dos monumentos tinha os seguintes dizeres:

"Dedicated to those free men who fall to other men become free",
ou numa tradução literal
"Dedicado aos homens livres que tombaram para que outros homens pudessem ser livres".

Obrigado!

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email