sexta-feira, 27 de junho de 2008

O Estado Brasileiro e o Malvado Rei da Idade Média

Durante a Idade Média os pobres sofriam na mão dos reis: eram obrigados a trabalhar 1 dia por semana de graça para o malvado rei. O Estado Brasileiro arrecada ao redor de 36% do PIB, isso equivale a obrigar o trabalhador a trabalhar 2,5 dias por semana de graça para o Estado. Em palavras, hoje trabalhamos segunda, terça e a parte da manhã de quarta-feira apenas para pagar impostos.

Como contra-partida aos impostos o Rei era obrigado a conservar estradas, emprestar o moinho (capital) aos pobres, zelar pela segurança interna e externa do reino. Já o Estado Brasileiro é obrigado a fornecer educação, saúde, moradia, e segurança. Fica evidente que tanto o rei quanto o Estado Brasileiro falham em suas obrigações. Contudo, temos uma vantagem importante para o rei: ele pelo menos custa menos.

No Brasil quase 60% da atividade econômica esta ligada, direta ou indiretamente, ao Estado. Praticamente nada pode ser feito sem a intervenção estatal, daí que as poucas empresas capazes de sobreviver no Brasil são obrigadas a se unir ao poder público, aumentando ainda mais o poder do Estado.

Trabalho duro e honesto, esse é o segredo que nossos pais nos ensinaram. Esse é o segredo para o sucesso. Quanto mais intervenção estatal tivermos mais distante estaremos de nossos objetivos, mais honestidade e trabalho seremos obrigados a abdicar em favor das benesses do Estado. O Estado NÃO É seu amigo, ele é que toma seu dinheiro e nada lhe dá em troca. Só existe um caminho possível para preservarmos nossa liberdade: REDUZIR O TAMANHO DO ESTADO.

Um comentário:

Fabio disse...

O sistema atual de democracia força o político a propor políticas econômicas ruinosas. Ele sempre proporá mais estado, não menos, em razão da estrutura de incentivos atual. O político que prometer menos estado não se elegerá. O liberal, portanto, tem a obrigação não só de lutar pela redução do tamanho do Estado, mas também pela mudança do atual sistema democrático.

Hayek estava consciente do problema e propôs, no terceiro volume de "Lei, Legislação e Liberdade", uma constituição modelo. Aqui está uma citação:

"Enquanto perdurar o sistema atual de democracia, um governo decente não pode existir, mesmo se políticos fossem anjos convencidos do valor supremo da liberdade pessoal. Não temos direito de culpá-los pelo que fazem, porque somos nós que, ao manter as instituições atuais, lhes colocamos numa posição de alcançar o poder apenas se prometerem benefícios especiais para vários grupos".

Vejam também a obra de Henry Maksoud , "Proposta de Constituição para o Brasil - 1988", que utiliza as idéias de Hayek para propor texto de uma constituição inteira para o Brasil. Infelizmente, a proposta não foi utilizada e hoje temos uma das constituições mais "progressistas" do planeta.

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email