terça-feira, 20 de abril de 2010

Os Deuses e o Aquecimento Global

Dois mil anos no passado a humanidade, incapaz de compreender os fenômenos da natureza, tudo atribuía a vontade dos Deuses. Terremotos, maremotos, falta de chuvas, chuvas em excesso, muito calor, pouco calor, invernos longos, invernos curtos, tudo era atribuído aos Deuses. Para os feiticeiros muita (ou pouca) chuva em determinada época do ano era o resultado da ira dos Deuses, devido ao mau comportamento dos homens. Qualquer evento, por mais normal que parecesse sob a ótica da ciência atual, era uma reação dos Deuses a alguma falta do homem.

Dois mil anos se passaram, mas parece que bem pouca coisa mudou no ramo da ciência. A única diferença é que ao invés de recorrermos aos feiticeiros recorremos aos cientistas (interessante notar que os feiticeiros eram os cientistas de suas épocas). Agora, basta chover muito (ou pouco) e pronto: lá está algum cientista (ou feiticeiro) culpando o mau comportamento do homem pela ira dos Deuses. Aliás, nesses dois mil anos a nossa evolução foi parar de justificar os fatos pela ira dos Deuses para começarmos a adotar o aquecimento global.

Terremotos? Maremotos? Vulcões? É a natureza revidando o mau comportamento do homem. Hoje tudo é justificado como sendo culpa do mau comportamento do homem, e o aquecimento global está apenas nos punindo por nossos próprios erros. Hoje nossos cientistas botam tudo na conta do aquecimento global causado pelo homem. No passado, procedimento similar era adotado pelos feiticeiros, botava-se tudo na conta da ira dos Deuses causada pelo mau comportamento dos homens.

8 comentários:

Anônimo disse...

Há uma nova denominação religiosa na praça, chamada A Igreja do Aquecimento Global dos Últimos Dias.

Thiago Alves disse...

Acredito que as mudanças climáticas, os terremotos, maremotos, entre outros desastres são ciclos absolutamente normais da Terra. O aquecimento global, dito "mau comportamento do Homem" é apenas um catalizador de tais fatores. As situações climáticas extremas que ocorreram no passado não podem ser justificadas por desmatamentos descontrolados ou exagerada emissão de CO2 na atmosfera, pois não havia capacidade tecnológica para tal. Como disse, creio que tudo o que está ocorrendo faz parte de um ciclo. O aquecimento, os desastres e as mortes são inevitáveis. Cabe ao Homem tentar minimizar o impacto causado em seu habitat e adaptar-se às mudanças.

Anônimo disse...

OS HOMENS E O AQUECIMENTO GLOBAL.

Estamos, progressivamente, se afastando da discussão e privilegiando a polarização da tempatica "Aquecimento Global". Será que não estamos tratando dos dois lados de uma mesma verdade? Certamente o tempo dirá, mas será que temos tempo para esperar? Enquanto isso, cada vez mais, a sociedade se afasta dessa discussão (na verdade polarização de uma discussão.
roosevelt@ebrnet.com.br

Anônimo disse...

Adolfo,
concordo que a credibilidade dada aos cientistas atualmente equipara-se a mesma dada aos feiticeiros antigamente, porém, como disse Thiago em seu comentário, anteriormente não possuiamos tecnologia suficiente para tais "previsões" e hoje temos. Acredito que a opinião de um economista sempre será igual a sua, em prol do desenvolvimento economico. Desmatamento não é nada, a população precisa de casa, não importa se a casa acabará com uma nascente de água...
Peço que tome cuidado com suas afirmações. Eu costumo ler muito sobre este assunto e concordo em partes que fazem parte de um ciclo, porém, com todas as evidências (mais do que comprovadas por não só uma, mas várias intituições renomadas, e que diferentemente dos estudos sobre as cotas raciais, comprovam aquilo que falam) o que tem acontecido não é normal. O ar não é o mesmo, a água não é a mesma, assim como o ciclo não segue o mesmo padrão, está completamente acelerado, o que tem ajudado não só nas catástrofes natuais como também nas aparições de novas pestes (fato comprovado). Seria interessante encontrar cientístas renomados que pudessem comprovar suas teorias, pois eu, como uma boa agnóstica, prefiro acreditar em seus estudos sobre a economia e nos estudos dos cientístas sobre o Meio Ambiente.

Ana Carolina Croner de Abreu

Anônimo disse...

Ana Carolina,

Há evidências de que o aquecimento global é uma realidade (University of East Anglia) e há evidências de resfriamento global (University of East Anglia). Parece confuso? É confuso. Acontece que "o" pesquisador que abasteceu o IPPC na sua cruzada contra o capitalismo, é o mesmo que admitiu ter fraudado os resultados que indicavam o aquecimento global, como resultado da atividade econômica. Na verdade, segundo confirmou "o" pesquisador, o mundo vem se resfriando, em vez de aquecendo. E agora? Então eu acho que o Adolfo tem razão.

Anônimo disse...

Prezado Anônimo,
está no seu direito em acreditar em quem achar mais conveniente, porém, creio que sua crença deveria levar em conta não apenas um estudo de "um" pesquisador... Quando digo a respeito das mudanças climáticas não falo apenas do aquecimento global, até porque sem o calor o mundo não teria condições para a vida, o problema não é esse, se pegarmos vários estudos e pesquisas (não apenas 1) veremos que o problema é o efeito estufa, e não o aquecimento, sem contar também que vários estudos comprovam que devido o efeito estufa o derretimento das calotas polares está mais acelerado, o que diminui a temperatura dos oceanos devido blocos de gelos flutuantes, o que implica em várias outras mudanças nas correntes marítimas, que por fim, resfria a temperatura da Terra de forma gritante, daí o resfriamento do mundo que você citou... Portanto, o efeito estufa (provocado sim pelo homem) é o causador do aquecimento global, que por fim, pode causar o tal resfriamento, o que pode nos levar a uma nova era glacial, neste caso, o que comprovaria que os ciclos estão alterados... Não me embaso em apenas um pesquisador ou estudo, e sim naquilo que comprova a realidade: provas.

Ana Carolina Croner de Abreu

Anônimo disse...

Ana Carolina,

"...o efeito estufa (provocado sim pelo homem) é o causador do aquecimento global..." é uma típica afirmação da Igreja do Aquecimento Global dos Últimos Dias que, nada mais é, do que uma variante da lenga-lenga anti-capitalista marxistóide. Não sei se você leu o meu comentário até o fim. Mas, ali, eu jamais escrevi que o aquecimento global não é provocado pela ação do homem. Eu só não considero séria uma discussão em que a ciência é colocada no lixo. E é isso que vem sendo feito pelos adpetos da tal igreja, incluindo aí alguns "espertos", como o senhor Al Gore. Por fim, você fala de provas. Que provas? As provas apresentadas até aqui, são aquelas do IPCC, que são baseadas em estudos como os da University of East Anglia. Ou, talvez, você esteja se baseando em observações factuais próprias. Não sei.

Carlo Di Franco disse...

Pena que li essa discussão só agora!
O Anonimo que polemiza com Ana Carolina não sabe minimamente do que está falando: O IPCC "é o conjunto dos climatologistas mundiais", se compõe de milhares de experts e, com diferentes matizes, é unânime no observar o aquecimento e dar hipóteses explicativas de suas causas. O IPCC não tem nada a ver com a Igreja de que fala-se, mesmo NADA! e tampouco com o anticapitalismo marxistoide!... tanto que os delegados americanos da época Bush também concordavam.
Aquilo que é absolutamente fora de discussão é que: 1) a concentração de gases serra na atmosfera aumentou muito (> 50%) e muito rapidamente nos últimos 150 anos, 2) no mesmo período as atividades industriais, com a queima de combustíveis, emitiram muitos desses gases, 3) as mudanças climáticas, com a medição do aquecimento médio nas ultimas décadas, têm uma curva muito parecida com aquela da concentração de gases serra, 4) essas variações de concentração de gases e essas mudanças climática são muito (centenas de vezes) mais velozes daquelas do passado pre-industrial.
As conexões causa-efeito cada um pode fazer, mais se saiba que há interesses industriais fortíssimos (só a Exxon fatura $ 500 bilhões/ano!) que querem evitar qualquer conexão, fazendo lobby.
Não esquecemos que desde já antes da consciência do problema existe um principio jurídico (também nada a ver com aquela igreja ou com o anticapitalismo marxistoide) que se chama "principio de precaução.
Só por completeza da informação.

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email